Dark Ages: Mage | Léxico

dark-ages-mage-lexico/Continuando os posts sobre a crônica de Mago ambientada na Idade das Trevas, traduzi o Léxico encontrado nas páginas 14-15 do livro Dark Ages: Mage. Apesar de alguns termos similares os demais são novos ou apresentam diferenças em relação as suas contrapartes modernas. Esta pequena lista ajudará a esclarecer um pouco as coisas…

Companhia: Uma ordem ou sociedade mágica. Algumas companhias, também conhecidas como Companhias Místicas, são inteiramente organizadas (como a Ordem de Hermes) enquanto outras apenas compartilham varias crenças em comum, como certos estilos mágicos (Portavozes dos Espíritos).

Conjuro: Um efeito mágico criado por um mago. Os conjuros são criados por meio de uma Fundação e seus Pilares, e são tão variados quanto as estrelas no firmamento; qualquer coisa que o mago possa imaginar, se tornará realidade, desde que disponha de conhecimento e poder mágico para tanto (representado pela Fundação e Pilares).

Castigo: O terrivel custo da magia mal realizada. Quando um mago tenta dobrar o universo, às vezes sele só consegue dobrar a se mesmo. O castigo é o resultado de um lançamento atrapalhado e pode tomar muitas formas, tais como Estigmas (sinais físicos de uma maldição, como um olho semelhante ao de um lagarto ou os pés como os de um gato), Açoites (o mago é ferido pelo poder bruto de seu próprio trabalho), Manifestações (algo invade nosso mundo à procura do mago) e Crepúsculos (a queda em direção a loucura).

Focos: Os magos necessitam de chaves mentais ou físicas para destravar os poderes da natureza ou do mundo invisível com seus conjuros. Estes focos podem tomar a forma de rituais, mantras ou objetos físicos como o bastão ou a espada de um feiticeiro. Pilares diferentes exigem focos diferentes. Conforme um mago cresce em poder ele se vê menos dependente das chaves.

Fundação: A filosofia básica que se oculta por traz da pratica mágica de uma Companhia, o poder que alimenta seus conjuros. As Fundações sustentam os Pilares.

Mago: Alguem que pode modelar a realidade por meio de uma Fundação e seus Pilares.

Mago menor: Uma pessoa com talento natural para realizar magia formulada, como o lançamento de rituais ou conjuros escritos em um livro ou transmitidos por tradição familiar. Os magos menores não podem recorrer a uma magia tão versátil como a de um mago normal, pois necessitam de Fundações apropriadas para moldar a verdadeira magia. Em anos posteriores esta magia será conhecida como estática, bem diferente da magia dinâmica, dos verdadeiros magos.

Pilar: Um aspecto particular das práticas mágicas de uma Companhia, o modo como sua magia se manifesta. É alimentado por uma Fundação. Cada Companhia dispõe de quatro Pilares diferentes. Nem todos os magos de uma Companhia estudam os quatro Pilares; a maioria se especializa em um ou dois deles.

Plebeu: Uma pessoa não mágica. Este termo foi inventado pela Ordem de Hermes, cujo estudo metódico da magia estabeleceu os parâmetros para muitos termos empregados por magos de outras Companhias.

Quintessência: A matéria prima do universo; a magia em si. Por traz da materialidade do mundo se encontra a quintessência, a união de todos os elementos. Existe como um campo de energia que os magos podem armazenar em seu interior e gastar para potencializar seus conjuros. Também pode aparecer em forma de sorvo

Sorvo: A quintessência física.

Anúncios
Esse post foi publicado em Dark Ages: Mage e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s